CLORETOS
Sinonimia
Cloro
Exames relacionados
Sódio, Potássio, CO2
Indicação médica
A determinação dos cloretos em amostras de sangue e urina faz parte da avaliação dos distúrbios hidro-eletrolíticos e ácido-básico. A dosagem do cloreto no suor é útil no diagnóstico da fibrose cística.
Significado clínico
O cloreto, como grande ânion do líquido extra-celular é essencial para a vida humana. Ele desenvolve o principal papel na manutenção da neutralidade eletroquímica do líquido extra-celular, incluindo o plasma. A hipocloremia é observada nos vômitos, com perda de HCI, nos estados acidóticos nos quais existe um acúmulo de ânions orgânicos (ânion gap positivo). A verdadeira hipocloremia é um componente frequente das alcaloses metabólicas persistentes, associadas à depressão de volume. A síndrome de Bartten, que acredita-se ser devida a um defeito de reabsorção de cloretos no túbulo distal, inclui hipocloremia. Caracteristicamente, pacientes em crise Addissoniana tem níveis de cloreto sérico diminuídos. Uma síndrome recentemente descrita, a diarréia congênita cloretada, que envolve uma perturbação no transporte ativo do cloreto no íleo distal e grosso intestino, produz diarréia osmótica e alcalose hipoclorémica. A hipercloremia, ocorre em várias formas de acidose metabólica, incluindo aquelas secundárias à perda de grande quantidade de bicarbonato, como nas diarréias prolongadas e nas ureteroenterostomias. Também as gamopatias mono e policlonais estão associadas com hipercloremia. Tem-se demonstrado a presença de concentrações elevadas do cloreto sérico em pacientes com hiperparatireoidismo. Também na síndrome nefrótica encontramos hipercloremia. Finalmente a acidose tubular renal é uma condição hiperclorêmica. A determinação de cloretos no suor é útil para o diagnóstico da fibrose cística (mucoviscidose). Nesta doença o cloreto do suor está aumentando. A excreção urinária de cloreto encontra-se aumentada diante de diureses massiças por várias causas, como observado na depleção de potássio e insuficiência adrenocortical. Ao contrário, a excreção urinária de cloreto diminui quando há perda aumentada por outras vias, bem como na hiperfunção adrenocortical e na reação de stress pós-operatório.
Preparo do paciente
Recomenda-se jejum mínimo de 8 horas para dosagens sanguíneas.
Tipo(s) de amostra
Sangue (soro), urina de 24 horas, suor e líquor.
Método
Tiocianato de Mercúrio Automatizado
Valor(es) de referência
Soro ou plasma: 96 a 109 mEq/L
Urina: 170 a 254 mEq/24 horas
Líquor: 118 a 132 mEq/L
Suor: Até 40 mEq/L
Interferências
A presença de lesões dermatológicas é causa de altos níveis de cloreto no suor. Esta dosagem é bastante variável em mulheres em função do ciclo menstrual.
Prazo de entrega
0 dia(s)

voltar